Tarifa não reembolsável em hotel: vale a pena o risco?

Tarifa “não reembolsável” é mais barata, mas deve ser paga no ato de reserva e não pode ser cancelada. E se eu precisar cancelar? Vale o risco?

Da série: “TURISTA INDEPENDENTE”

Esse post interessa aos que fazem suas reservas em hotéis por conta própria, como também para aqueles que querem ser um “turista independente”. Vamos aos fatos.

Na hora de fazer reserva em um hotel aparece um tipo de  tarifa: “no refundable” ou “não reembolsável”. O que isso significa?

É um tipo de tarifa oferecida pelos hotéis, no Brasil ou no exterior, mais baratas do que a tarifa normal da diária, onde é necessário o pagamento no ato da reserva com cartão de crédito, cuja a política de cancelamento é:  não devolver seu dinheiro caso você desista da reserva, não compareça, ou saia antes da data prevista, ou seja, desista a qualquer tempo.

Alguns hotéis possuem políticas um pouco diferentes, mas na maioria a alteração das datas da reserva também não são permitidas.

Para ilustrar, fiz uma pesquisa para as datas de 19/04/2016 – 23/04/ 2016, 4 noites, 1 quarto, 2 adultos em New York, no DoubleTree Suites by Hilton NYC – Times Square, usando o buscador booking.com. Comparando-se os quartos para 2 pessoas, a diferença entre as tarifas não reembolsável e cancelamento grátis é de R$ 343,00.

Pesquisa Booking.com tarifa não reembolsável

Via de regra, funciona assim: pague mais barato no ato da reserva, mas se desistir, dançou! Não tem dinheiro de volta. Só que não é bem assim… Vou explicar.

No Brasil o Código de Defesa do Consumidor (CDC) prevê  o “direito à desistência”. Observe este caso conforme relatado no link

Um cidadão ingressou com Ação Indenizatória em face da empresa Booking.Com, buscando ressarcimento do valor pago no ato da reserva do hotel Fairfield Inn & Suites, situado em Nova Iorque, uma vez que seu pedido de cancelamento realizado horas após foi negado, alegando a empresa que na oferta selecionada constava a condição “não reembolsável”.

O pedido foi procedente em primeira e segunda instância, condenando a “Booking.com” a indenizar o consumidor do valor despedido.

No caso, como a aquisição do produto ocorreu fora do estabelecimento comercial (através do site), prevaleceu o DIREITO À DESISTÊNCIA – trazido pelo Art. 49º do Código de Defesa do Consumidor.

Significa o seguinte: se você fez uma reserva não reembolsável pela internet ou por telefone, poderá desistir em até 7 dias, sendo que deverá ser restituído o valor integral pago.

Vale ressaltar que muitas vezes esse direito é exercido apenas se você contratar um advogado e entrar com uma ação judicial contra quem lhe vendeu a reserva. Não é tão simples!

Eu costumo sempre pesquisar as tarifas de hotéis na condição não reembolsável. Eu acredito que vale a pena correr o risco. Mas porque arriscar?

Primeiro, porque a tarifa não reembolsável é mais barata, sempre. Às vezes, pode chegar a metade do preço.

Segundo, porque eu avalio os riscos. Claro que não sabemos do dia de amanhã, não tenho bola de cristal, mas as chances de se cancelar uma viagem, pelo menos pra mim, é bem remota. É claro que se acontecer algo muito grave, pronto! já era… Mas eu prefiro correr o risco pelo preço. E com certeza vou ligar onde fiz a reserva e tentar negociar. Isso não é nada garantido, mas não custa tentar…

Esse tipo de reserva está presente em todos os buscadores de hotéis. Se você usa os buscadores Trivago, Booking, Decolar, Detecta, hoteis.com, etc… Não importa! Todos eles vão mostrar opções de tarifas não reembolsáveis.

E preste bem atenção, pois se você não quer correr esse risco, verifique a política de cancelamento da reserva mais barata que encontrar. Na maioria das vezes será não reembolsável!

Leia com atenção a política de cancelamento da reserva!

Mas o que muda numa reserva não reembolsável, além de não devolverem meu dinheiro em caso de desistência?

Nada. Você terá direito a um quarto de hotel como especificado na reserva do mesmo padrão que a opção “cancelamento grátis”, vai pagar no ato da reserva com seu cartão de crédito, e é avisado de que não terá seu dinheiro devolvido – salvo nas condições estabelecidas no art. 49 do CDC. É apenas isso. Não existem “piores quartos”, “nem piores acomodações”, nem nada pior para quem faz esse tipo de reserva.

O problema está no fato de que você correrá um risco. Simples assim.

Veja como o hoteis.com trata deste assunto no site:

Posso alterar ou cancelar minha reserva não reembolsável?

Sim, pode. Não cobraremos você por isso, mas seu pagamento não será reembolsado. Nós temos que seguir a política de cancelamento e alteração do hotel e eles poderão cobrar uma taxa. Verifique os termos e condições de sua reserva e consulte a política de cancelamento e alteração do hotel.

 hotel

Vou relatar um fato interessante que houve comigo  numa viagem em família em 2012. Fiz um cruzeiro pelo Caribe saindo de Fort Lauderdale e havia programado visitar várias cidades e me hospedar em 3 hotéis depois do desembarque do navio: Key Largo, Key West e Chicago.

Ocorre que passou um furacão por lá, mudaram a rota do navio, e não pudemos desembarcar na data prevista, ficando mais 2 dias navegando… parece legal né? … até que foi “mais ou menos”. Bem, do navio eles liberaram as ligações telefônicas para que pudéssemos nos organizar.

Eu tive que cancelar um vôo doméstico da American Airlines  e paguei USD $150 por pessoa da família. Quanto aos hotéis, adivinhem: eram todas reservas não reembolsáveis! Que maravilha!

Pensei: ferrou! Só que não… Liguei nesses hotéis e negociei. Recebi os valores pagos integralmente dos hotéis na Flórida, e em Chicago somente alterei a data da hospedagem no Hyatt sem problemas, sem taxas extras. Ufa! dessa vez deu certo… acho que por causa do furacão… mas comigo,  foi assim que aconteceu!

Não quer dizer que sempre será assim!

Então, turista independente, se você quer pagar mais barato, e quer correr o risco, vá de tarifa não reembolsável.

Mas se correr riscos não é com você, então fique ligado no momento que fizer sua pesquisa. Preste muita atenção na política de cancelamento da reserva para não ter surpresas!

Sobre o autor

A blogueira é professora / gestora universitária. Quando não está trabalhando, sai para explorar lugares e comidas pelo planeta. Ensina e aprende trocando opiniões sobre viagem.

Relacionados