Um Favorito em Teresina

Teresina – Piauí. Restaurante Favorito.

Terça-feira, 12h30. Não sei o que incomodava mais, a reunião de trabalho que insistia em desafiar a fome ou o calor que beirava o insuportável.

De repente, eis que alguém diz a frase mágica: “vamos almoçar?”. O nosso anfitrião sugeriu um restaurante de comida típica piauiense.

Sugestão aceita, lá fomos nós ao encontro do refúgio que aplacaria a nossa fome.

Após 20 minutos de trânsito intenso, em que o ar condicionado do carro apenas atenuava o calor infernal da bonita Teresina, finalmente chegamos ao Restaurante Favorito.

Imaginava um local com ambiente simples, mesas de madeira e muitos objetos ligados a vida rural ou do interior, como acontece em muitas casas desse tipo Brasil afora.

No entanto, logo à entrada do Restaurante Favorito, não pude deixar de me surpreender com a decoração, com peças de artesãos locais, que tinha como tema central a galinha d’angola, conhecida no nordeste como capote.

Havia sim, mesas de madeira, armários e objetos antigos de todos os tipos. Mas a decoração não deixou de surpreender com detalhes como a das panelas coloridas penduradas no teto e do lustre feito com taças de vinho.

          Restaurante Favorito - mesas     Restaurante Favorito- Decoração

E o charme da galinha d’angola – carro chefe do Favorito, de todas as formas e tamanhos!

Restaurante Favorito - galinhas d'angola

Detalhe dos lustres feitos com panela e com talheres

          Restaurante Favorito lustre de talheres      Restaurante Favorito lustre de panela

E do quadro com utensílios culinários, confeccionado em metal, que adorna a parede do salão de entrada lateral.

Restaurante Favorito quadro-utensílios

Para os apreciadores, o Favorito oferece uma boa variedade de cachaças, com destaque para rótulos nordestinos e piauienses.

Restaurante Favorito- variedade de cachaças

Após alguns minutos observando e fotografando a rica decoração do Favorito, fomos instalados numa mesa de onde tínhamos uma vista geral do salão principal.

Restaurante Favorito salão

O restaurante se define como :

de conceito arrojado, quando se trata de comida típica piauiense.

Seu cardápio traz muitas opções de capote (galinha d´angola), galinha caipira, carneiro, linguiças caseira e carne-de-sol – que pode ser feita a partir de carneiro, de contra-filé, de filé-mignon e de picanha, além de alguns pratos de peixes e frutos do mar.

Apesar do ambiente refrigerado, o calor não dava trégua.

Pedimos então uma cajuína bem gelada. Para quem não conhece, trata-se de uma bebida de sabor bem característico. Preparada a partir do suco de caju, não possui álcool nem recebe adição de açúcar. No Piauí é adorada e tratada como símbolo da cultura popular do estado.

Foi até motivo de uma música – “Cajuína”, de autoria de Caetano Veloso e Torquato Neto, imortalizada na voz de muitos intérpretes como Elba Ramalho:

E éramos olharmo-nos intacta retina,

A cajuína cristalina em Teresina

Favorito: cajuína

Como a fome apertou, pedimos uma porção de linguiça caseira acompanhada por uma deliciosa farofa com bacon e por um vinagrete com bastante coentro, trazidos à mesa em panelinhas muito charmosas. Tudo gostoso!

Restaurante Favorito- Entrada

Terminada a entrada restou a dúvida: o que pedir?

Resistimos bravamente à tentação dos arrozes – de rabada, de costela, capotada (de galinha d’angola) e 7 mexidão (baião de dois mais queijo, linguiça, bacon, carne seca e ovos mexidos) e do capote selvagem ao molho pardo (servido com baião de dois, farofa e pirão).

Apostamos na carne-de-sol especial do chef.

Uma mistureba deliciosa de carne-de-sol feita de filé mignon, assada na manteiga de garrafa e coberta com fatias de queijo coalho, acompanhada (ou seria escoltada?) por baião de dois, feijão tropeiro (feito com feijão verde), paçoca de carne seca, macaxeira (mandioca) cozida e pirão de queijo coalho.

O prato serviu bem a quatro pessoas. Estava bom? Melhor deixar que as fotos falem por si.

             Favorito- comida na panela

Favorito- prato

O Favorito também faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança , que congrega vários restaurantes espalhados pelo país.

Em qualquer um deles, sempre que pedir o prato sugestão, você leva grátis o “Prato da Boa Lembrança”, uma peça em cerâmica bem legal, pintada com o motivo do prato.

Aqui, a sugestão tem nome de “Pintada Favorito”, que é galinha d’angola confitada ao molho de cajuína com baião de dois, cubos de queijo coalho e farofa de babaçu.  Bem diferente!

Restaurante Favorito Prato-lembrança

Após toda essa comilança, para adoçar a boca, pedi um sorvete de cajá (ou taperebá como é conhecido em alguns lugares).

Servido em um despojado copo do tipo americano, estava delicioso.

Cremoso, e ressaltando o azedinho do cajá, tinha doçura na medida certa. O aroma saltava do copo e o sabor preenchia a boca intensamente, deixando um gosto de quero mais após cada colherada.

Favorito - sorvete

Como a tarde já caia, só restava então finalizar os trabalhos, não sem antes nos render ao poder revigorante de um café do Favorito.

Aqui ele foi servido com uma porção de doce de leite encaroçado e pedaços de rapadura. Nada mais típico!

 Favorito- café

Terminado o café, sonhando com uma rede a balançar no clima agradável do ar condicionado, que a essa altura já ignorava os 40 graus do lado de fora, pagamos a conta e voltei ao trabalho com a letra de “Cajuína” na cabeça:

“Existirmos: a que será que se destina?”

Serviço:

Restaurante Favorito – Rua Angélica – 1059 – Bairro de Fátima – Teresina – PI Tel: (86) 3232 2020 – www.favoritorestaurante.com.br

Entradas: R$ 12,90 a 38,80

Pratos Principais: de R$ 17,90 a 189,90

Sobremesas: R$ 11,90 a 34,90

Avaliação:

Comida: Grande variedade de comida típica regional. Pratos fartos e Bem temperados. 8/10

Serviço: Atencioso mas um pouco lento – 7/10

Ambiente: Muito bem decorado. Aconchegante. Parece a casa da fazenda da vovó, cheia de trecos – 9/10

Preço: Justo. Alguns pratos servem até 4 pessoas – 8/10

Eu recomendo!

Sobre o autor

Engenheiro que virou professor. Antes de descobrir o Maranhão, foi mineiro, baiano, sergipano e paulista. Cozinheiro de fim de semana, adora viajar, comer e beber, não necessariamente nesta ordem. De buxada a foie gras, de cuxá a caviar adota a máxima: se tem cara boa, coma!

Relacionados